sexta-feira, 27 de novembro de 2015

The Walking Dead 6ªTemporada

Um Apocalipse provoca uma infestação de zumbis na cidade de Cynthiana, em Kentucky, nos Estados Unidos, e o oficial de polícia Rick Grimes (Andrew Lincoln) descobre que os mortos-vivos estão se propagando progressivamente. Ele decide unir-se aos homens e mulheres sobreviventes para que tenham mais força para combater o fenômeno que os atinge. O grupo percorre diferentes lugares em busca de soluções para o problema.


Para fazer o download clique aqui
Ep1 ao 6

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Editor americano ofereceu um milhão de dólares pela Tecmo Koei tomada sobre a distribuição de Dead or Alive Xtreme 3

Uma iniciativa que começou no Twitter e tem o apoio dos fãs indignados com a decisão.
Uma editora americana tem se posicionado no debate sobre Dead or Alive Xtreme 3: quer trazer o jogo para os Estados Unidos. Dispõe de um milhão de dólares para distribuição aos Tecmo Koei, que parecia tomar a decisão de não lançar o jogo no Ocidente.


HuniePot, o recorrente, colocou a mensagem no Twitter de espera para os usuários indignados com a decisão de apoiar a iniciativa. Ninguém no Tecmo Koei ainda pronunciou sobre o assunto. A única certeza é que já anunciou no Facebook que "não tem planos de mudar de idéia no futuro."

Billy Mitchell,detentor do recorde lendário Pac-Man e Donkey Kong, denunciou a série de desenhos animados Historias Corrientes

Mordecai e Rigby estavam lutando um monstro semelhante a Mitchell aparência registro de uma máquina de jogos.
Talvez Billy Mitchell é lembrado para o cargo de pontuação máxima de Donkey Kong em todo o mundo por mais de duas décadas, mas também foi o primeiro jogador da história a chegar ao final do Pac-Man, em 1999, um marco impensável faz uns anos. Mitchell se tornou popular entre os jogadores a deixar no documentário The King of Kong: A Fistful of Quarters, onde um jogador amador, Steve Wiebe, destina-se a superar o recorde de Mitchell no jogo de Nintendo lendária.

Como um bom jogador, de Mitchell popularidade não foi perdida em JG Quinten e seus escritores em Histórias de Corrientes, uma série de televisão no momento mais famoso do Cartoon Network. Em um capítulo em 2011, os seus protagonistas, Mordecai e Rigby, uma cabeça flutuante desafiou para um jogo de arcade. O nome do ser extraterrestre foi Bobby Garrett Ferguson e sua aparência era exatamente como Billy Mitchell, que não gostou da brincadeira e decidiu trazer os tribunais de New Jersey este fato. Ele acabou perdendo.

De acordo com o juiz encarregado do caso, Anne Thompson, o caráter e Mitchell são independentes, como "GBF é uma criatura não-humana, uma cabeça sem corpo gigante flutuante que vem do espaço sideral. O requerente é um ser humano. Quando GBF perde o título, o personagem literalmente explode. A recorrente não fez ". Quinten e sua equipe fazem referências a mundo dos videogames constantemente em sua série de televisão: os jogos de Mordecai e Rigby para o Master System ou visitas de lazer são uma constante para os protagonistas.

sábado, 14 de novembro de 2015

O criador de Bayonetta pergunta para os fans qual consequências que gostariam de ver

Hideki Kamiya nomeação especificamente para Devil May Cry, Okami e Viewtiful Joe.
Atualmente envolvida no desenvolvimento de Scalebound para Xbox One, o veterano Hideki Kamiya iniciou uma rodada de pesquisas para descobrir quais as consequências que gostaria de ver seus seguidores.

O pai de Bayonetta publicou dois inquéritos especificamente em frente para um lado, para precioso amado Okami com Viewtiful Joe; e, por outro Devil May Cry vs. Okami. Em ambos os casos, com mais de 8.000 votos coletados, Okami é o título mais votado.


As pesquisas ainda estão abertas no Twitter, então você ainda tem a opção de participar delas.

Star Wars: Battlefront detalha seu conteúdo de seu Season Pass

Ele irá fornecer acesso a 16 mapas adicionais, quatro novos heróis e vilões e mais armas e modos de jogo.
Electronic Arts e DICE finalizaram o conteúdo adicional que dara acesso ao passe de temporada para Star Wars: Battlefront, que, como há muito tempo veio para a frente será composta de quatro pacotes de conteúdo para download.

Seu preço será cerca de 50 euros e entre os destaques continha 16 mapas adicionais em alguns casos, será definido em novos locais estão incluídos. Haverá também quatro novos heróis e vilões, assim como muitos outros modos de jogo e mais de vinte armas adicionais, veículos e outros extras típico universo de Star Wars.


Com o passe de temporada fãs Battlefront terá acesso duas semanas cedo para todo esse conteúdo. Nos próximos meses, eles vão lançar detalhes mais específicos sobre estes novos conteúdos.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Grand Theft Auto V (PC) Download passo a passo


O Grand Theft Auto V para PC apresentará amplas atualizações técnicas e visuais para tornar Los Santos e Blaine County mais imersivos do que nunca. Além de distâncias maiores de renderização e de rodar a 60 FPS com possibilidade de resolução 4K, os jogadores podem esperar diversas adições e melhorias, incluindo:

- Novas armas, veículos e atividades
- Fauna adicional
- Trânsito mais intenso
- Novo sistema de folhagem
- Efeitos de dano e de clima aprimorados, e muito mais
Para fazer o Download clique aqui.

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Prévia: Star Wars: Battlefront

Popular série multiplayer retornará em 2015, agora sob comando do estúdio de "Battlefield"
“Star Wars: Battlefront” marca o início de uma nova era para a icônica franquia de ficção científica nos games. Após a aquisição da marca pela Disney e a dissolução da LucasArts, os jogos da série passarão a ser produzidos pela Electronic Arts - pelo menos pela próxima década.
Para iniciar esta nova fase, a EA deu ao estúdio DICE, de “Battlefield”, a missão de ressuscitar a série “Battlefront”, que marcou época na década de 2000 sob comando do Pandemic Studios - ironicamente dissolvido pela própria publisher, anos depois.

Trazendo personagens e locais da série original, o novo “Star Wars: Battlefront” promete uma mistura de multiplayer nos moldes da série “Battlefield” com a nostalgia de uma galáxia muito distante.

"Battlefront" permitirá lutar no chão ou pelo ar com X-Wings e TIE Fighters

Campo de Batalha nas estrelas

"Imagine pegar bonequinhos de seus personagens favoritos de 'Guerra nas Estrelas' e criar as batalhas mais malucas e improváveis".
Foi assim que o diretor criativo Niklas Fegraeus explicou ao mostrar “Star Wars: Battlefront” a UOL Jogos em uma apresentação a portas fechadas, em abril. Desde seu anúncio, na E3 2013, a DICE sempre procurou mostrar reverência ao material-fonte de seu novo jogo, o que se reflete em toda sua estética.
Utilizando como base os modelos, figurinos e efeitos sonoros dos próprios filmes, a DICE procurou reconstruir os personagens e cenários da série com a fidelidade audiovisual conhecida do estúdio.
Isso pode ser visto em primeira mão ao dar uma olhada em qualquer imagem ou do jogo, que recria em mínimos detalhes a estética de elementos como armaduras imperiais, roupas dos rebeldes, e diferentes elementos dos cenários nos 12 mapas iniciais baseados em planetas como Hoth e Tatooine.
Além de sua excelência visual, a  DICE quer dar seu toque próprio às mecânicas do game. O estúdio, porém, não quer que ele seja apenas um “Battlefield” com filtro de “Star Wars”.
“Queríamos que tivesse um coração e alma próprios”, disse o gerente geral da produtora, Patrick Bach, em entrevista com o jornal The Guardian, “Sabemos que o público central de um jogo como este é diferente do público de ‘Battlefield”. Há pontos de encontro, mas fãs de ‘Star Wars’ esperam um jogo de ‘Star Wars’, e não ‘Battlefield’”.
Assim, a jogabilidade é significativamente mais simplificada em relação à série de FPS da DICE. O recuo das armas é bem menor, e não é necessário recarregá-las, já que a produtora preferiu uma mecânica de “sobrecarga” ao disparar muitas vezes.
Além disso, assim como em jogos anteriores da série, será possível mudar de perspectiva da primeira para terceira pessoa.
O que “Star Wars: Battlefront” promete em relação ao estilo de “Battlefield” são batalhas massivas, com vários jogadores se enfrentando ao mesmo tempo. O game não atingirá o limite de 64 jogadores, mas permitirá até 20 usuários de cada lado do conflito.
Jogadores poderão controlar figuras icônicas da saga "Star Wars", incluindo Darth Vader e Luke Skywalker

Heróis da Galáxia
Apesar de ser uma nova era e com uma nova equipe de desenvolvimento, o novo “Battlefront” ainda utiliza os principais conceitos de seus predecessores, especialmente em relação às unidades “heróicas” de cada facção.
Como em “Battlefront II”, o jogador poderá controlar figuras icônicas da saga “Star Wars”, incluindo Luke Skywalker, Darth Vader e Boba Fett. Estes personagens são significativamente mais poderosos do que soldados comuns, e cada um vez com suas próprias habilidades especiais.
Para acessar estes personagens, jogadores poderão utilizar um power-up que surgirá em determinado ponto da partida, e apenas um usuário poderá controlar um destes heróis por vez.
“Há variações dependendo do modo de jogo e coisas assim”, disse Fegraeus à revista OXM. “Mas você pode pegá-los via um sistema de power-ups… quando você encontrar o power-up de herói, é aí que você pode fazer sua escolha”.
De acordo com os desenvolvedores, porém, é preciso tomar cuidado para não superestimar os poderes destas unidades heroicas. Caso o jogador controlando este personagem mais poderoso morra, por exemplo, ele voltará a ser um dos soldados normais do jogo
“Cabe a nós encontrar o equilíbrio certo. [Eles] precisam ser super-poderosos, mas não invencíveis”, disse Bach. “Este é o Santo Graal de criar jogos divertidos - como você encontra o equilíbrio de tudo”.
Além de heróis, os power-ups encontrados pelos mapas trarão diferentes benefícios ao jogador durante a partida, incluindo a possibilidade de controlar veículos da série, como a X-Wing, o TIE Fighter ou o AT-ST.
Há muito tempo atrás?
  • Divulgação
    Ao contrário de "Battlefront II", lançado em 2004, o novo jogo da série não trará elementos dos Episódios I a III, dedicando-se apenas ao conteúdo da trilogia clássica, além de um DLC baseado no novo filme da série, "O Despertar da Força", que será lançado em dezembro.
    Foto: Divulgação
Dose dupla
Ao contrário de seu predecessor, o “Battlefront” da DICE não trará uma campanha singleplayer, preferindo dar atenção maior aos elementos multiplayer do jogo.
Ainda assim, o estúdio criou uma experiência diferente para quem não gostar de lutar contra outros jogadores online: O modo “Missions”, que permite até dois jogadores completarem uma fase nos moldes do modo “Horda” de “Gears of War”.
A dupla deverá sobreviver a 15 ondas de inimigos cada vez mais perigosos e com diferentes habilidades, passando de meros Stormtroopers, por exemplo, até os resistentes AT-STs. Há poucas vidas em cada missão, que são compartilhadas entre os dois jogadores, então é importante saber quando deve-se usá-la ou quando é preciso confiar no parceiro para derrotar as ameaças restantes.
Os produtores prometeram missões diferentes em todos os mapas de “Star Wars: Battlefront”, assim como variações neste modelo, com diferentes desafios e objetivos durante a partida.
Em “Missions”, os jogadores poderão completar as partidas via conexão online ou, no caso dos consoles, em multiplayer local com tela dividida.
Além deste modo cooperativo, a formação de duplas também ganha relevância no multiplayer competitivo por meio do “Partner System”, em que a progressão dos personagens é dividida entre dois usuários.
Caso um dos membros da dupla pare de jogar o jogo por algum tempo, por exemplo, o outro jogador ainda poderá avançar e conquistar novas armas e equipamentos no jogo, que poderão ser compartilhados entre os dois.
A ideia por traz deste sistema é ajudar pessoas que fiquem longe do título a não desistir por ter um equipamento fraco em relação a jogadores mais dedicados, colocando-os em clara desvantagem.

Passos para o futuro
“Star Wars: Battlefront” representa apenas o primeiro passo na parceria entre a EA e a Disney, que já tem outro projeto em desenvolvimento - no caso, uma aventura desenvolvida pelo estúdio Visceral Games, de “Dead Space” e liderado pela antiga diretora criativa e roteirista da série “Uncharted”, Amy Hennig.
Esta nova fase também mostra que a série está dedicada a agradar o mercado brasileiro, já que “Battlefront” chegará ao país totalmente em português.
“Star Wars: Battlefront” será lançado em 17 de novembro no PC, PS4 e Xbox One.

Descubra se seu PC pode rodar "MGS V: The Phantom Pain"

Após alterar a data da versão de PC de "Metal Gear Solid V: The Phantom Pain" do dia 15 para 1º de setembro, a Konami revelou os requisitos de sistema mínimos e recomendados para o game.
Confira abaixo se seu computador tem o necessário para rodar o último game da aclamada série que será dirigido por Hideo Kojima.
Requisitos Mínimos
  • Sistema Operacional
  •  
  • Windows 7/ Windows 8 (64-bit)
  •  
  • Processador
  •  
  • Intel Core i5-4460 3.40 Ghz ou melhor; Quad-core ou melhor
  •  
  • Memória RAM
  •  
  • 4 GB
  •  
  • Placa Gráfica
  •  
  • Nvidia GeForce GTX 650 2GB ou melhor (Requer DirectX 11)
  •  
  • Armazenamento
  •  
  • 28 GB livres
  •  
  • Placa de som
  •  
  • Compatível com DirectX 9.0c
Requisitos Recomendados
  • Sistema Operacional
  •  
  • Windows 7/ Windows 8 (64-bit)
  •  
  • Processador
  •  
  • Intel Core i-7-4790 3.60GHz ou melhor; Quad-core ou melhor
  •  
  • Memória RAM
  •  
  • 8 GB
  •  
  • Placa Gráfica
  •  
  • NVIDIA GeForce GTX 760 (Requer DirectX 11)
  •  
  • Armazenamento
  •  
  • 28 GB livres
  •  
  • Placa de som
  •  
  • Compatível com DirectX 9.0c
A Konami não confirmou oficialmente suporte ao Windows 10, mas segundo a publisher testes internos mostram que a performance é similar às versões anteriores do sistema operacional, e que farão patches corretivos caso ocorra qualquer problema de compatibilidade.
"Metal Gear Solid V: The Phantom Pain" está em pré-venda no Steam por R$ 200.